Artigos,  Artigos

Assessoria de Imprensa Gospel – a evolução

notebook
Lembro de quando escrevi um artigo sobre Assessoria de Imprensa Gospel há algum tempo e da repercussão que ele teve. A partir daí comecei a receber contatos de diversas partes do Brasil (e do mundo!). Alguns de estudantes de Jornalismo, outros de pessoas que sonhavam estudar Comunicação mas tinham dúvida sobre qual caminho seguir, e até mesmo, de pessoas querendo me contratar para trabalhar no meio gospel.
A questão é que o tempo passou. Caminho para três anos de intensa atuação como assessora de imprensa neste meio e outros quatro anos como jornalista profissional. Muita coisa mudou ao longo desta caminhada, mas a realidade é que ainda temos muito para avançar.
Pensando na evolução das “assessorias de imprensa” do meio cristão o cenário é diferente de quando comecei a trabalhar nesta área. Muita gente já entendeu que o “assessor de imprensa” não é aquele que “faz agenda” – existem os que também fazem – mas sim, o profissional de comunicação que pensa estrategicamente sobre as mídias em que vai tentar colocar seu cliente/assessorado por meio de ações que gerem a famosa “mídia espontânea” – aquela em que o assessorado vira notícia sem ter que pagar para aparecer na revista, televisão, jornal, rádio, site e blog.
É isso mesmo colega! Nem tudo na vida é jabá! Ainda acredito nos bons profissionais, em assessores de comunicação que trabalham honestamente divulgando seus clientes. A figura do “Assessor de Imprensa” que é o “Assessor de Comunicação” além do relacionamento com a mídia engloba hoje ações específicas nas Redes Sociais como Twitter, Facebook, Flickr, YouTube, Blog, entre outros. O assessor não conversa somente com a Imprensa, mas domina a tecnologia e transita bem entre as diversas linguagens digitais como um bom webwriter.
O assessor trabalha intensamente no processo de construção de imagem de um ministério, igreja, banda, cantor, etc. A postura do profissional, o expertise e também seu mailing (lista) de contatos serão pontos positivos nesse processo de divulgação. Hoje temos no mercado mais assessores de imprensa atuando no meio gospel do que no tempo em que escrevi o primeiro artigo (leia aqui) mas também, muita gente desqualificada, sem formação adequada e o background necessário para um trabalho bem sucedido. A formação profissional é importante, sim! Existem casos em que a prática formou o profissional, mas creio que não substitui o tempo de estudos, pesquisas e experimentações.
Dois segmentos no meio gospel que mais vejo utilizando os serviços de assessores de imprensa são os cantores e as editoras. Se pretende contratar um assessor de imprensa busque as referências profissionais dele, avalie o currículo, consulte outros clientes dele para ter mais segurança na hora de contratar. Mas não se iluda! O serviço de “assessoria de imprensa” sozinho não irá fazer milagre! Geralmente é um trabalho a longo prazo, planejado, mensurado e aliado a outras frentes de ações como marketing, bons profissionais para ajudar em agenda, negociações, pós-venda, etc.

Uma das novidades desde os tempos em que escrevi sobre um primeiro panorama dos profissionais de comunicação cristãos é que agora tenho dado aulas e palestras pelo Brasil falando sobre Assessoria de Imprensa, Mídias Sociais em Prol do Reino de Deus e Evangelismo na Rede. Mais do que trabalhar como assessora de imprensa tenho buscado ensinar um pouco do que tenho aprendido ao longo destes anos e conscientizar a Igreja sobre nosso papel diante do uso da Internet e das redes sociais. Compartilhar conhecimento é uma oportunidade para aprender um pouco mais. Pense nisso!

Arquivo publicado originalmente em 22/11/2011 – Assessoria de Imprensa gospel – a evolução: http://bit.ly/1BmVkEw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *