Blog,  Cursos/Eventos

CPBR10 – Rosana Hermann fala sobre Pós-Verdade

Em palestra na 10ª edição da Campus Party Brasil, Rosana Hermann começou lembrando que participou como palestrante em todas as edições da CPBR.

Na palestra falou sobre a renomada instituição inglesa, Oxford, e sobre o fato dela alimentar conhecimento há mil anos no mesmo lugar. Anualmente o Dicionário Oxford elege a “palavra do ano” que é inserida nele.

Em 2013 a palavra do ano foi “selfie”, em 2014 a palavra do ano foi “vape” e em 2015 a palavra foi “emoji”. Todas sempre ligados a algum comportamento atual e relevante na sociedade.

Em 2016 a palavra do ano foi “post-truth” que traduzida é pós-verdade. Rosana destacou ao longo da palestra sobre a importância de refletir sobre esta temática e apresentou aplicações práticas do termo. “Não podemos viver pensando que a vida seja: ‘penso, logo, é isso'”.

IMG_1311
Rosana palestra na CPBR10 | Foto: Elis Amâncio |

Resumidamente, pós-verdade é quando mesmo conhecendo a verdade sobre um determinado assunto, a pessoa escolhe continuar acreditando na mentira. Um dos exemplos usados pela Rosana é a questão sobre comer manga com leite fazer mal. Apesar de ser provado cientificamente que não há problema em ingerir os dois alimentos juntos – inclusive, há sorvete de manga – existem pessoas que preferem acreditar que faz mal e não ingerem os dois alimentos juntos.

Rosana explicou que a era da pós-verdade tem muito a ver com a “cognição preguiçosa”, teoria do psicólogo prêmio Nobel, Daniel Kahneman. “As pessoas tendem a ignorar fatos, dados e eventos que obriguem o cérebro a um esforço adicional”.

Também destacou a fala Joseph Goebbels, chefe da propaganda nazista disse: “Uma mentira repetida mil vezes vira verdade”.

As pessoas não pensam muito sobre o que publicam e discutem nas Redes Sociais, por exemplo. Rosana comentou sobre o fato das pessoas lerem a manchete em um post, e apenas o fato de gostarem do que leram ali, compartilham o link. Segundo ela, somente 18-19 retuítes depois as pessoas percebem que o link estava quebrado. “Elas simplesmente retuítam sem ler a notícia completa”.

Na apresentação da palestra havia a seguinte informação: “Um estudo da Universidade de Stanford com cerca de 7,8 mil estudantes mostra que os jovens entrevistados são incapazes de avaliar a veracidade das informações nas redes. É preocupante constatar que 80% não diferenciam entre notícias reais e conteúdo patrocinado e 40% confiam em informações questionáveis publicados por fontes desconhecidas”.

Rosana concluiu sua palestra falando da importância de publicarmos conteúdo com fontes seguras na Internet. Pois, somos responsáveis pelo que compartilhamos. Assim, tornaremos nossa rede ainda mais confiável.

Sobre Rosana Hermann: atualmente é gerente de Inovação do Portal R7, colunista do Jornal da Record News sobre Tecnologia e Internet ao lado de Heródoto Barbeiro, convidada semanal do programa NBlogs da Record News. Dá aula de roteiros na FAAP (graduação), escreve colunas regulares para o YouPix e para o blog da Brastemp. É uma das vinte pessoas mais influentes do Twitter mundial de acordo com o TweetLevel.​

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *